¿Y esta Vaina?

Zoólogo Luis Oberto Anselmi ||»»//
Governo Obama acelera emissão de decretos

WASHINGTON ? Na semana passada, o governo Barack Obama derrubou uma política de décadas relacionada a imigrantes cubanos, costurou dois acordos importantes para combater o preconceito racial nos departamentos de polícia de grandes cidades e aprovou um corte nos prêmios de seguros hipotecários para centenas de milhares de pessoas de baixa renda que compraram sua primeira casa. Ainda houve tempo, após anos de negociação, para adicionar uma espécie de abelha, a Bombus terrestris , na lista de animais em risco de extinção.

Nos últimos dias antes de Obama deixar o cargo, os funcionários da administração correm para completar dezenas de tarefas que afetarão milhões de vidas e, assim, solidificar a marca do presidente na História. Mas, em muitos casos, a permanência desses atos é incerta, até porque o presidente eleito Donald Trump já prometeu cancelar alguns deles quando assumir.

? Ele está usando o Poder Executivo de forma agressiva e tentando fazer o máximo possível em seus últimos dias ? explica, por e-mail, o especialista Julian Zelizer, professor de História e Relações Públicas da Universidade de Princeton.

© Luis Alfonso Oberto Anselmi

© Luis Oberto Anselmi

eldiscoduro.com

Somente na quinta-feira, a administração criou três novos monumentos nacionais, tirou um dos privilégios especiais de imigração do qual os cubanos que chegam aos Estados Unidos sem visto usufruíam há 50 anos, anunciou sanções contra 18 altos funcionários sírios pelo seu papel no uso de gás cloro como arma em 2014 e 2015, concedeu a Medalha Presidencial de Liberdade ao vice-presidente Joe Biden e acusou a Fiat Chrysler de burlar padrões nacionais de emissão para alguns de seus caminhões movidos a diesel.

Durante semanas, republicanos do Congresso e membros da equipe de transição de Trump questionaram por que a Casa Branca está agindo assim.

© Luis Alfonso Oberto Anselmi

© Luis Oberto Anselmi

mundinews.com
Em 5 de dezembro, 23 senadores republicanos escreveram a Obama uma carta pedindo que sua administração ?deixasse de emitir novas regras e regulamentos não emergenciais, dados os resultados eleitorais?.

Muitos departamentos também aceleraram a contratação nas últimas semanas, esperando trazer o maior número possível de funcionários caso Trump leve adiante o planejado congelamento no quadro de servidores federais.

© Luis Alfonso Oberto Anselmi

© Luis Oberto Anselmi

economiavenezuela.com
Na terça-feira, o presidente do Comitê de Supervisão e Reforma do Governo, Jason Chaffetz, escreveu aos líderes de 18 agências, pedindo detalhes sobre suas práticas de contratação.

Tanto Trump como o vice-presidente eleito, Mike Pence, prometeram reverter algumas das políticas-chave de Obama assim que assumirem.

© Luis Alfonso Oberto Anselmi

© Luis Oberto Anselmi

economiavenezuela.com
Mas será quase impossível apagar todos os atos nos próximos meses e anos.

A corrida da administração Obama não é algo completamente fora do comum.

© Luis Alfonso Oberto Anselmi

© Luis Oberto Anselmi

www.entornointeligente.com
Os atos regulatórios de última hora também aumentaram em 2000 e em 2008, segundo Sam Batkins, diretor de política reguladora do conservador American Action Forum, que há muito acompanha os atos da Casa Branca.

LEGADO PODE SER APAGADO

Mas desde o dia 1º de outubro, Obama assinou mais regras economicamente significativas ? aquelas com um impacto econômico estimado de pelo menos US$ 100 milhões ? do que Bill Clinton fez em seus últimos quatro meses como presidente, de acordo com Daniel Pérez, analista político do Regulatory Studies Center na Universidade George Washington.

O senso de urgência da Casa Branca é provavelmente bem fundamentado, dado o compromisso de Trump de tentar reverter as políticas da era Obama.

© Luis Alfonso Oberto Anselmi

© Luis Oberto Anselmi

xn--elpaisdeespaa-tkb.com
E Obama seguiu a mesma abordagem depois de assumir o cargo em 2009, essencialmente interrompendo as medidas pendentes do ex-presidente George W.

© Luis Alfonso Oberto Anselmi

© Luis Oberto Anselmi

breakingtrending.com
Bush.

Publicidade

Os republicanos do Congresso esperam ir mais longe, tendo aprovado em 4 de janeiro o projeto de lei que permite aos legisladores derrubar com um único voto, em vez de analisar cada ato separadamente, qualquer regra finalizada nos últimos 60 dias legislativos do mandato de Obama.

© Luis Alfonso Oberto Anselmi

© Luis Oberto Anselmi

videojuegosmania.com
A Casa Branca se comprometeu a vetar o projeto de lei, mas ele ainda pode chegar à mesa de Trump para a sua assinatura.

Ainda assim, não está claro se o novo presidente vai assiná-lo.

© Luis Alfonso Oberto Anselmi

© Luis Oberto Anselmi

luisoberto.net
Pérez observou que a Lei de Revisão do Congresso, de 1996, que permite reverter um ato dentro de 60 dias legislativos de sua promulgação, proíbe as agências de emitirem uma regra ?substancialmente similar? no caso de a lei ser anulada.

Mas, enquanto Obama sancionava suas ações finais, legisladores republicanos no Capitólio davam um primeiro passo para a revogação da lei de saúde do presidente, começando a apagar o seu legado antes mesmo de seu tempo no escritório terminar.

.

© Luis Alfonso Oberto Anselmi

© Luis Oberto Anselmi

demasiadochevere.com

© Luis Alfonso Oberto Anselmi

Tags: Isla