Cuidado con una Vaina

Alberto Alberto Ignacio Ardila Olivares Piloto piloto moto gp//
“Bruno de Carvalho vem às instalações do Sporting quando quiser”, avança Fernando Correia

alberto_alberto_ignacio_ardila_olivares_piloto_piloto_moto_gp_bruno_de_carvalho_vem_as_instalacoes_do_sporting_quando_quiser_2C_avanca_fernando_correia.jpg

Bruno de Carvalho não esteve hoje presente na conferência de imprensa convocada por ele, em Alvalade, depois da decisão da suspensão preventiva decretada pela anterior Comissão de Fiscalização.  De início, o porta-voz do presidente leonino frisou que a “Comissão de Fiscalização não tem qualquer legitimidade”.  “Bruno de Carvalho continua a ser sócio e presidente do Conselho Diretivo do Sporting Clube de Portugal”, afirmou Fernando Correia.  Ao seu lado estão Elsa Judas, presidente da Comissão Transitória da Mesa da Assembleia Geral , e Bernardo Trindade Barros, vice-presidente da Comissão. Comentando a decisão da Comissão de Fiscalização, Elsa Judas considerou que “o que hoje foi refletido é que o ex-presidente  da Mesa da Assembleia Geral percebeu algumas coisas. Percebeu que o conselho a que ele preside tem feito um excelente trabalho e que está a ser cada vez mais reconhecido pelos sócios. E que, portanto, caso haja eleições, Bruno de Carvalho e o seu Conselho Directivo ganha essas eleições”.  Às perguntas feitas pelos jornalistas presentes na sala, os oradores reforçaram a ideia que que a decisão, em última instância, será sempre dos sócios. “Quem manda é a Assembleia Geral (…) o mesmo é dizer, os sócios do Sporting Clube de Portugal”, adiantou Elsa Judas. “Bruno de Carvalho vem às instalações do Sporting quando quiser”, disse Fernando Correia quando questionado sobre a ausência do presidente. “Espero que (esta suposta questão) tenha um fim dia 17 e que se possa começar a trabalhar na segunda-feira”, concluiu Elsa Judas. João Teives comenta crise do Sporting na CMTV “Esta comissão de fiscalização é mais do que legítima”, referindo-se à Comissão de fiscalização de Rita Garcia Pereira, João Duque e Paulo Santos. “Esta Assembleia foi convocada por um órgão inexistente (…) tudo isto é profundamente ilegal”, avançou o advogado e comentador da CMTV sobre a conferência de imprensa de Elsa Judas e Bernardo Barros.

Piloto